Primeiras Impressões: O Mestre das Cordas - Philippe Alencar


As terras de Arkandur formam o último continente — o único lugar onde a humanidade perseverou e vive em paz com os sábios conhecidos como magos. No entanto, tudo muda quando  rituais necromânticos começam a espalhar caos e horror pelos três grandes reinos. Os reis, receosos e pressionados por seus conselheiros, decidem assinar a lei que proíbe permanentemente a prática de magia. Os magos passam a ser caçados não somente pelas tropas reais, mas também pela sombria cavalaria da Justiça Armada Noturna, cujas espadas são tão gélidas quanto suas almas. Mas, dentre os poucos sobreviventes, surge Barton: um bardo capaz de tornar os sons do mundo em sua fonte de magia. Atormentado após presenciar o assassinato da esposa em um lago sem fim, o bardo vê um novo destino à sua frente quando um velho amigo o recruta para uma perigosa jornada, e juntos partem em busca da verdade por trás da sombra nefasta que devora o mundo. Atendendo ao chamado, o músico compreende a vida como uma melodia, cabendo a ele regê-la. Porém, inúmeros segredos estão guardados ao longo das escalas musicais que ele terá de desvendar, onde cada nota poderá surgir como um aliado... ou um algoz. Uma canção em que deuses e demônios ditam as regras, e humanos e magos clamam para si o direito de reescrevê-las. 


Olá leitores, tudo bom?

Vamos conhecer as primeiras impressões do livro O Mestre das Cordas, do autor Philippe Alencar.


Em O Mestre das Cordas somos levados para o período medieval. Um período onde magos, bardos, druidas são respeitados, onde eles são importantes, onde seus conhecimentos eram admirados e valorizados...Só que tudo isso muda. De respeitados, eles passam a serem temidos e até caçados.

Mas, o que aconteceu para eles passarem de admirados para ameaças?

No reino de Tenemus, começaram a aparecer coisas que deixaram os habitantes aterrorizados: plantações foram destruídas, cadáveres foram encontrados com marcas de sangue na face, algo parecido com rituais de magia negra...E o terror começou a se espalhar para os reinos vizinhos de Dragoria e Asakura. Na cabeça dos reis, os únicos que podiam fazer tal ato seriam os magos...Será mesmo?



O livro nos apresenta um prólogo bastante emocionante. Em um templo, um sacerdote está fazendo o culto do dia, eles cultuam os Seis Deuses. O templo é invadido por mercenários, eles começam a saquear os fiéis e são bastante violentos também.


"O mercenário mais alto voltou a largar as bolsas. Puxou o martelo novamente, ainda manchado pelo sangue do guarda, e o arremessou com força na direção do sacerdote. A ferramenta girou diversas vezes no ar até encontrar o rosto do alvo, levando-o ao chão. O sangue escorria do nariz e descia pelo queixo, sujando a barba e as vestes sacerdotais."

Só que os mercenários não viram uma pessoa escondida entre as sombras, no canto do templo. Essa figura encapuzada sai das sombras e enfrenta os malfeitores. O interessante é que a pessoa se revela um senhor bastante idoso, com andar trêmulo, rosto cadavérico, mãos ossudas...Na cabeça dos mercenários, seria uma luta fácil de se ganhar, mas não é isso que acontece.

"Meia dúzia de palavras ininteligíveis foram sussurradas pelo velho e, naquele exato momento, o gosto de sangue se fez na boca do ladrão. Um de seus dentes da frente havia caído e jazia no chão. Pouco a pouco, os ossos amarelados foram se desprendendo da gengiva e caíam aos montes. O sangue escorria pelos lábios queixo abaixo, e os dentes desciam por aquela cachoeira vermelha até se desprenderem todos. Incrédulo, o ladino procurava catá-los um a um, escorregando as mãos pelo chão. Tentou balbuciar algo, praguejar o velho, mas não pôde, já que a boca desdentada não era seu único problema. Sua voz sumira, e aos poucos a garganta parecia fechar-se. Não conseguia mais respirar, o nariz também se tornou inútil. Caiu com os olhos arregalados, procurando enxergar o homem que o amaldiçoava, e este continuava a ciciar sílabas e sílabas misteriosas."


E fica a questão: será que os magos, bardos, druidas são pessoas que trabalham para o mal? Ou alguém está tramando algo contra eles?

A ordem é para exterminar todos os magos e afins, para isso foi criado os Nove Espadas da Justiça. Um grupo de homens que são responsáveis por essa caça e matar qualquer ser desse tipo.

Quando passamos para o primeiro capítulo, somos apresentados a Aldesfer, um mago que está em busca de algumas respostas, desde que encontrou alguns pergaminhos em uma caverna. Também está a procura de outros dois magos, que vivem escondidos na floresta...Ele precisa dele para solucionar o que esses pergaminhos. 

Só que nessa busca, ele encontra os cavaleiros que compõem os Nove Espadas da Justiça...Mas, ele consegue se sair bem dessa situação e seguir em sua jornada.


Foram apenas três capítulos, o suficiente para demonstrar a qualidade da história para mim. Gostei bastante do que li. Fantasia é o meu gênero preferido e quando se passa no período medieval fico mais interessada ainda. 

O prólogo foi bastante intenso e gostei do modo como a história foi conduzida. A ação dos mercenários e a aparição do mago foram espetaculares.



A escrita de Philippe é bastante fluida e gostosa de ler, ele consegue criar a áurea de mistério perfeita para a obra desse estilo. Os detalhes são bem escritos e compõem o cenário perfeito para todo o enredo. Estou curiosa para conhecer mais da história.


Um pouco sobre o autor

Philippe Alencar é natural de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, tem 26 anos e vem escrevendo histórias desde a adolescência. O Mestre das Cordas foi adaptado de uma campanha de RPG que se estendeu de 2011 a 2014 e é o primeiro livro publicado pelo autor, mas Philippe já participou de antologias e tem contos à venda na Amazon. O processo de transformação da trama em romance ocorreu entre 2014 e 2015, enquanto o autor realizava intercâmbio na Irlanda. Lá, além de dedicar-se à escrita, estudou no Ibat College e atuou como tradutor de textos em uma rádio local.

Facebook do autor: https://www.facebook.com/philippe.alencar

Página do livro: https://www.facebook.com/omestredascordas/?fref=ts

video

O que acharam? Me conte ai...Até a próxima!


10 comentários:

  1. Eu tbm adoro fantasia e ainda mais se a história se passa no período medieval. Se tem magia então? Melhor ainda! Achei a capa do livro linda, bem chamativa. Eu super compraria pela capa. Pelos quotes que vc colocou já dá pra perceber que a escrita do autor realmente é boa, bem detalhada. Enfim, parece ser um excelente livro!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz que tenha gostado, Suzana! :D
    Obrigado pela postagem e pelas palavras, abraço!

    ResponderExcluir
  3. Oi,
    Se tres capítulos já fez te conquistou, imagina o livro todo?!?!
    Eu gosto muito de fantasia, mas tem certas histórias que não gosto e essa é bem do jeitinho que não leio.
    Mas desejo sucesso para o autor e o livro
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não conhecia o livro mas não me senti atraída pela leitura, não que ele seja ruim, não é memso, parece ser muito bom, mas eu não gostei muito do enredo, essa não é bem a minha praia.

    ResponderExcluir
  5. Hummm me interessei bastante! Tomara que você goste até o fim!beijos

    ResponderExcluir
  6. Suzy do céu, se lendo tão pouco, tu conseguiu extrair tanto conteúdo e ficar tão entusiasmada é porque com certeza é um ótimo livro. Sabendo como tu ama lucros com pegadas de fantasia/medieval imagino que nem deve ta dormindo para querer saber mais.
    Parabéns pelas primeiras impressões!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá... amigaa, tudo bem??
    Bom já eu não curto muito livros fantásticos.... ainda mais medievais rs... a premissa te conquistou mesmo ein... sua empolgação foi vibrante... é tão bom quando um livro causa isso na gente... como não ficar encantado?? espero que a leitura continue fluindo assim... para que você possa curtir cada momento... Xero!

    ResponderExcluir
  8. Simeia Silva8.6.16

    Oieee, também amo uma boa fantasia e curto muito essa coisa de magos e magia. Não conhecia o livro e já comecei a me encantar pela capa, ta linda. Torcendo pra que a história continue fluindo lindamente e te encantando também.Aguardando a resenha completa.

    bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Su, sua linda, tudo bem?
    OMG!!! Eu adoro histórias medievais, e adoro bruxos, feiticeiros. A magia e a sabedoria que cerca os druidas, sempre me fascinou. Esse livro parece ser é perfeito!!! As imagens estão lindas, o artista arrasou, as cores estão tão vivas. Sabe Su, o poder é sempre perigoso, por um lado, se querem matar todos eles, eu logo desconfio, porque quem tem poder é tido como uma ameaça para quem não tem. Mas por outro lado, sempre tem alguém usando o poder para o mal. Que dilema!!!! Você me deixou bastante empolgada, não conhecia esse livro, mas já estou apaixonada, espero ter a oportunidade de ler. Adorei suas primeiras impressões!!!

    OBS: Muito obrigada pela mensagem lá no meu Cantinho, você e a Di querem acabar comigo. Muito obrigada pelo carinho!!!

    ResponderExcluir
  10. Olá...fantasia? Adoro!
    Não conhecia essa obra, mas já me interessei. A editora Arwen está com tudo, um livro melhor que o outro.

    Gostei bastante da capa e das imagens que você apresentou. Quero ler também!

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário é muito importante!

Todos os posts são escritos com bastante carinho para todos os leitores.

E, sempre que der, vou responder seus comentários.

Obrigada pela visita e volte sempre!

Siga o blog no GFC, Curta nossa Fanpage. Siga no Instagram.