Resenha: Dois Mundos - Simone O. Marques



Título: Dois Mundos - Tesouro da Tribo de Dana #1
Autora: Simone O. Marques
Editora:  Butterfly
Gênero: Fantasia/Distopia/Jovem Adulto/Aventura
Páginas: 256
Ano: 2016
*Cedido em parceria com a editora*
Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo...Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo de mortais e deuses, a jovem liberta antigas divindades. E dois domínios distintos estão prestes a colidir quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade.

Olá leitores, tudo bom? Já imaginaram Deuses Celtas no Brasil? E que uma jovem brasileira é o avatar  de três Deusas Celtas? Não?! Senta em uma poltrona bem confortável, pega uma xícara de café e vem comigo conhecer Dois Mundos, de Simone O. Marques

Estamos em 2021, O Brasil está devastado por catástrofes naturais. Tsunamis, terremotos, furacões. Represas foram rompidas, estradas desfeitas e cidades destruídas. Tudo está fora de lugar. Não apenas o Brasil, mas o mundo estava passando por uma nova fase.

O primeiro capítulo mostra o relato de um diário. A data é de três de Novembro de 2016, Marina completava seus 13 anos e foi nessa data tão especial que tudo aconteceu, ela descobre que é um avatar. Mas, não qualquer avatar, era só o avatar de três deusas Celtas! Sim! Imagina como a jovem Marina e sua família ficaram ao saber disso. Só não sabiam que toda essa novidade teria um impacto à nível global.


"Marina, do meio daquela luz, falou com uma voz que não era a dela, mas parecia a de uma mulher mais velha. E deixou uma mensagem que felicitava seus guerreiros pela vitória, que uma nova era estava começando, a era da deusa, e que os mortais teriam que reaprender como se conectar á natureza e aos antigos deuses."
Cinco anos se passam, Marina está com 18 anos, mora na Fazenda Tribo de Dana, que fica na Chapada dos Viadeiros. Um verdadeiro oásis em meio ao caos que o mundo se encontra. Durante esse período, nenhuma das deusas se manisfestaram, todos tratavam Marina como a pequena Dana. É respeitada por todos e tem seus Sombras, que são guerreiros bem treinados  e determinados em protege-la, nem que para isso tenham que dar a própria vida. Seus Sombras principais são Artur e Brian.

"- Estou cansada de ficar presa aqui - desabafou e Elaine suspirou, depositando a fruta sobre o colo. Não era a primeira vez que a pequena Dana falava que aquela fazenda era sua prisão."
Paralelo a isso, vamos conhecer Pedro, o oráculo da deusa. Pedro mora fora da fazendo, em uma das várias comunidades que começaram a existir em todos os país. Ele mora na Rede Norte, que fica no que restou da cidade de São Paulo. que é comandada por seu tio. É através dos olhos de Pedro que vamos saber como o Brasil ficou. Prédios aos pedaços, ferros retorcidos, a natureza começava a tomar seu lugar, não existia fronteiras entre cidades.  

A  humanidade tentava sobreviver e para isso grupos eram criados, grupos saiam para fazer um mapeamento do que ainda existia e buscar recursos. As cenas descritas nessa parte da história, me lembrou bastante The Walking Dead, sem os zumbis  e sem o Negan, aquela situação de sobrevivência que as pessoas passam na série é bem semelhante à do livro. Pedro sente que Marina está precisando dele e sai em direção a Fazenda da Tribo de Dana. 

Na fazenda, Marina sentia-se sufocada com a falta de liberdade, por estar sempre sendo seguida e vigiada. Em uma das caminhadas pela área da fazenda, Marina desobedece uma das ordens de seus sombras e acaba caindo, junto com Brian e Artur, em uma caverna. É nessa caverna, que Marina tem pela primeira vez a visão de uma das deusas e a mensagem que recebe não é nada otimista.

Artur e Brian ficam desesperados, precisam tirar a pequena Dana daquele lugar, ela não podia sofrer nenhum arranhão. Pois, corriam o risco da ira da deusa Dana cair sobre eles. Na tentativa de encontrar uma saída, acabam entrando em um mundo bem diferente do que eles imaginavam. Um mundo que eles só conheciam das lendas contadas pelos druidas, histórias sobre grandes deuses e seus guerreiros. E a partir desse incidente, os três entraram em uma grande aventura, que os levará por caminhos e reinos desconhecidos, o véu que separava o mundo dos mortais e dos deuses havia se rompido e eles descobrem que estão em dois mundos. 

"Um castelo?! - Marina exclamou extasiada. - Não acho que haja castelos no Pantanal...- falou baixo, sentindo a tensão dos corpos dos dois guerreiros."
Quando vi a Editora Butterfly anunciar Dois Mundos, fiquei bastante empolgada. Amo fantasia, amo a mitologia Celta e o que me deixou mais curiosa, deuses celtas no Brasil! E não me decepcionei com a leitura! Simone O. Marques criou uma história linda, soube mesclar bem os elementos fantásticos da mitologia Celta com os nosso belos cenários naturais. 



A construção e caracterização dos cenários ficou maravilhosa, nada ficou forçado. Ao contrário, as transições foram feitas de maneiras suaves, deixando a imaginação do leitor fluir. Quando estamos acompanhando Pedro, em sua jornada até a fazenda, vamos percebendo as mudanças de ambientes: São Paulo com prédios destruídos, avenidas desfeitas, estradas tomadas por vegetação, rios com margens destruídas, florestas com ares de magia.

Mais fascinante ainda, são os lugares que Marina, Brian e Artur encontram: florestas com folhas tão vermelhas que parece fogo, macieiras com frutos dourados protegidos por sacerdotisas que transformam-se em águias e um castelo de um grande deus, localizado em pleno Pantanal!



Gostei bastante dos personagens, todos bem construídos e com personalidades bem distintas. Marina, de início me irritou um pouco, mas é compreensível sua revolta, todo o mundo que conhecia não existe mais, não tem liberdade e é tratada como se fosse um cristal. Artur e Brian são maravilhosos, são guerreiros natos, valentes e honrados. A aventura que irão passar, vai mudar bastante a visão que eles tem de Marina, e esta irá amadurecer bastante e começa a entender o que significa ser o avatar de três grandes deusas e isso vai assusta-la um pouco.

Simone O. Marques tem uma escrita bem fluida e delicada. Ela consegue envolver o leitor no seu mundo mágico. Gostei bastante da mescla do mundo dos deuses em nosso país. O Pantanal e a Chapada dos Viadeiros  já são locais mágicos por suas belezas naturais, ficaram mais mágicos ainda depois que alguns reinos Celtas se fundiram neles.



A diagramação está ótima! Folhas amareladas, fontes bem confortáveis para a leitura. As bordas das primeiras páginas de cada capítulo são decoradas. A capa é linda! A moça representa Marina envolta no véu que separava os dois mundos, a borda da capa é adornada com símbolos celtas, as letras do título apresentam leve relevo ao passar os dedos.



Uma história mágica, passada no Brasil, com elementos Celtas. Um enredo bem construído e encantador. Se você gosta de fantasia e distopia, com cenas bem escritas, personagens cativantes e ação e mistérios na medida certa, então Dois Mundos vai encantar você!

Até a próxima!


20 comentários:

  1. Acho bem interessante quando autores brasileiros pegam um tema como esse que geralmente só é visto um livros internacionais e adaptam para o território brasileiro. Não tinha ouvido falar desse livro ainda, parece ser uma longa história. Parabéns pela resenha!

    Memórias de uma Leitora
    memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Esse livro é maravilhoso! beijos!

      Excluir
  2. Olá, tudo bem?

    Que premissa interessante: destruir o Brasil e colocar como salvadora da pátria uma descendente (personificação) de deuses Celtas, amei.

    Sua resenha me encantou, principalmente porque vc focou nos aspectos técnicos da obra, acredite, para quem tem ceratocone saber que as fontes e o papel não brigam é de grande ajuda!

    bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Ficou uma história perfeita! Fico feliz que tenhas gostado, beijos!

      Excluir
  3. Olá, tudo bem?
    Que capa mais linda! Adorei ♥
    A premissa chamou bastante a minha atenção, ainda mais se tratando de fantasia!
    Adorei a sua resenha, dica mais que anotada!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! A capa e a diagramação estão ótimas! Beijos!

      Excluir
  4. Oiii tudo bem??

    Já conhecia o livro, muito lindo, capa muito maravilhosa, as paginas também.
    Mas geralmente mitologia Celta não me agrada, adorei sua resenha e conhecer mais sobre o livro que so conhecia a capa.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  5. Oi Su, tudo bem?
    Confesso que tenho medo de ler distopia misturado com fantasia... porque o lado fantasia ainda não é bem meu ideal de leitura rs... mas achei incrível sua resenha desse livro e o que me chamou muito atenção foi o ano citado que estavam após a devastação... porque 2021 está logo ai e fico imaginando a cidade de São Paulo destruída, gente como pode isso? De qualquer forma o enredo parece ser ótimo e a capa está bem linda mesmo. Essa questão de pular para outro mundo me lembrou do livro A Maldição do Tigre, talvez eu tenha interesse em ler rs. Xero!

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Não sou muito entusiasta de distopia mas achei bem interessante esse Brasil atrasado. Também sou fã da cultura celta então acho que é um livro que posso gostar mesmo sendo uma distopia. Dica anotada.

    ResponderExcluir
  7. Ei, Suzy!
    Eu comprei esse livro na Bienal SP diretamente com a Simone! Um amor de autora!!!! Irei começar a leitura desse livro daqui a pouquinho, assim que fechar o que estou lendo agora. Sabia que a história era boa, mas nossa!!!! Além de futurista, uma fantasia espetacular! Tão lindo ver nacionais assim!!!!! Adorei sua resenha! Parece qe pegou a essência e fez um bolo gostoso! ;) bj!!!

    ResponderExcluir
  8. Quando eu vi a divulgação desse livro pela editora, não imaginei que se tratava de tudo isso. Achei genial a autora ter mesclado o Brasil aos deuses celtas e mais ainda, ter criado tudo com maestria.
    Quero muito ler!

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Apesar de não curtir fantasia, acho que arriscaria a leitura só por se tratar de um nacional que tem deuses celtas. E adorei essa capa!

    ResponderExcluir
  10. Oláaa, nunca tinha ouvido falar desse livro, e achei super interessante a história dele se passar em território brasileiro. Parece ser bem bacana a leitura! Adorei a resenha!

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
  11. oie
    Adorei a resenha. Gosto desse gênero e achei muito legal ser nacional.
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Ainda não conhecia esse livro e fiquei bem curiosa, ainda mais com um personagem feminino tao forte assim. E celtas aqui no Brasil tb me surpreendeu mto.
    Não sabia que a autora é brasileira e adorei saber mais do trabalho da Simone O. Marques
    Gostei mto da resenha, achei a diagramação perfeita, a editora caprichou mto, relmente me animou a ler logo.
    Adorei a resenha.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  13. Oi!!

    Estou ansiosa para ler esse livro e assim como você também fiquei empolgada quando descobri que a editora burtterfly iria lançar. Toda essa mistura de deuses me deixou encantada, até mesmo pq a Simone soube comparar essa fantasia com a nossa realidade, já que realmente a natureza grita por socorro. Beijos e não vejo a hora de ler.

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Nossa que diagramação e livro LINDO. Gostei de saber que é no Brasil em epoca futura. Tem bastante mistura de coisas que gosto, por isso dica anotada. Adorei saber que a construção e caracterização dos cenários é ótima.
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Já li algumas resenhas do livro e estou super animada com a leitura.
    Achei bem diferente a autora trabalhar a mitologia celta, algo que ainda não vi na literatura nacional, e que gostaria de conhecer.
    A capa tá lindona. Acho que a editora acertou!
    Bj

    ResponderExcluir
  16. Olá, conheci o livro em uma ação da editora e estou bastante interessada em ler, pois adorei a sinopse.
    Sua resenha ficou ótima, parabéns!

    Abraços

    ResponderExcluir
  17. Oiii.
    Ainda não li nada da simone, mas tenho duas amigas que são viciadas na escrita dela a Mara Sop e a Fernanda Lira, elas sempre me recomendam a leitura, mas ainda não tive tempo de fazê-la.
    Adorei a sua resenha e me deixou ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário é muito importante!

Todos os posts são escritos com bastante carinho para todos os leitores.

E, sempre que der, vou responder seus comentários.

Obrigada pela visita e volte sempre!

Siga o blog no GFC, Curta nossa Fanpage. Siga no Instagram.

© Entre Livros e Pergaminhos - Desde 2015 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo