14 de abr de 2017

# Espaço Geek # Filmes/Séries

Espaço Geek: Os 13 Porquês



Uma caixa de sapatos é enviada para Clay (Dylan Minnette) por Hannah (Katheriine Langford), sua amiga e paixão platônica secreta de escola. O jovem se surpreende ao ver o remetente, pois Hannah acabara de se suicidar. Dentro da caixa, há várias fitas cassete, onde a jovem lista os 13 motivos que a levaram a interromper sua vida - além de instruções para elas serem passadas entre os demais envolvidos.


Olá leitores! O Espaço Geek de hoje traz a série Os 13 Porquês. Vou contar o que achei da série. Bom, não li o livro. Mas, já tinha lido diversas resenhas sobre o mesmo, então tinha uma noção sobre o assunto.

Para quem não assistiu e nem leu, a série fala sobre Hannah Baker, uma jovem que comete suicídio. Antes de morrer, ela grava 13 fitas contando os porquês dela ter chego a essa decisão trágica. Na série, vamos acompanhando o conteúdo dessas fitas através de Clay, ele recebe uma caixa com todas as fitas. É claro que ele fica assustado, como receberia algo de Hannah se ela já estava morta? 

E assim vamos escutando, junto com Clay, todas as situações que Hannah passou, todas as pessoas que de alguma maneira a feriram até chegar a sua morte.



Bom leitores queridos, posso dizer que essa série mexeu com muitos. As reações foram bem diferenciadas: Uns acharam que a série fraca, outros ficaram realmente impactados, outros acharam o bullying fraco demais e teve outros que acham estranho por uma moça bonita em uma série de bullying. Nunca vi minha Timeline ficar tão cheia com um mesmo assunto. Mas, foi legal, vários debates foram desenvolvidos. E acho, que essa foi a intenção da série.

O que eu achei? 

Gostei bastante da série, como disse acima, não li o livro, então não farei comparativos. Confesso que fiquei bem mexida com a história, não esperava algo tão intenso e forte assim. O que começou com uma brincadeira de mal gosto foi tornando algo gigante, uma bola de neve, até terminar na avalanche de emoções que consumiu Hannah.


Cada pessoa lida de maneiras diferentes em uma determinada situação. Até mesmo quando é bullying. Nesse debates que rolaram pelo Facebook, li vários relatos de casos de bullying e cada pessoa lidou de uma maneira. A blogueira que vos fala também passou por situações desagradáveis na infância e início da adolescência por causa do bullying, eu tive um tipo de reação: ir no tapa. Isso mesmo que você leu. Foi a forma que achei para me defender e tentar fazer aqueles insultos pararem.

Mas, tem pessoas que criam escudos e não deixam isso afetar suas vidas. Outras ficam feridas e seguem em frente. Tem casos que a pessoa  acaba matando os outros (aqueles casos de tiroteio nas escolas americanas) e há outros como Hannah.


Assim como existem motivos diferentes para cada tipo de situação. Como disse acima, teve pessoas que acharam os motivos de Hannah bobos demais, acharam ela egoísta e vingativa e também acham que erraram em por uma atriz bonita para representar alguém que sofria bullying. Eu já penso diferente.

Não vou soltar spoilers, fiquem tranquilos. Mas, cada situação que aconteceu na vida da Hannah não foi boba. Tentem se colocar no lugar da personagem, o que vocês iriam sentir? Se até a sua beleza pode ser uma arma contra você? Como iriam agir? Pensem em cada motivo de cada fita, pensaram? Agora, projetem isso para fora, projetaram? Se fosse com você, seria bobo? Se fosse comigo, não acharia.

As coisas só vão piorando e tudo vai ficando mil vezes pior! A personagem se vê sozinha e cai em depressão. E depressão não é frescura, é doença séria. Na minha família teve casos de depressão e posso afirmar que não é fácil, é uma fase dark na vida da pessoa e se ela não tiver o apoio da família para sair, fica muito complicado vencer a depressão.

O que percebi é que Hannah ficou depressiva e sozinha. Apesar de ter uma família amorosa, mas estavam passando por problemas financeiros. Na cabeça de Hannah, se abrir com seus pais seria levar mais problemas para eles e ela não queria ser mais um. Não teve sorte com as amizades que fez, tentou ajuda na escola, mas as palavras do conselheiro só fizeram piorar a situação. E para piorar, na tentativa de se enturmar e de tentar fazer parte de um grupo (como a maioria dos adolescentes fazem), acabou se metendo em situações perigosas. 


Depressiva, sozinha, humilhada e ferida. Infelizmente, ela tomou o pior caminho. Essa cena, partiu meu coração, na verdade, as quatro últimas fitas partiram meu coração. E pensei: Quantas vezes fomos um dos porquês na vida de alguém? Fazendo alguma piada e/ou brincadeira sem graça? Quantos desses porquês passaram em nossas vidas? 

A série Os 13 Porquês trouxe um debate muito importante para todos. Muitos refletiram sobre o assunto, muitas famílias começaram a conversar sobre a situação em casa. Li uma matéria que o CVV passou a receber mais ligações de pessoas que passaram a pedir ajuda. É muito bom quando um livro, filme ou série causa esse tipo de reflexão, é muito positivo para todos.

E caso, vocês conheçam alguém que esteja precisando de ajuda para sair de uma depressão, ou que esteja passando por situações difíceis na escola. Estenda a sua mão, ou peça para ligar para o CVV (141) ou acessar o site, aqui. Vamos ter mais empatia com o próximo e evitar ser um dos porquês.

Assistiram a série? Leram o livro? O que acharam? Me contem...Até a próxima!




14 comentários:

  1. Eu acho que essa série deveria ser obrigatória nas escolas de todo mundo e passada também a todos os pais. É tanto conteúdo pra ser discutido e debatido: a doença depressão, os sinais silenciosos são o foco principal, mas tem tanta outras coisas ali: acesso a armas, drogas, bebidas, escolas depreparadas, pais desatentos... pais que fingem não ver quem são seus filhos... é muita coisa...
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Oi...
    Eu estou assistindo a série agora no netflix... Ainda não cheguei ao final, mas nos poucos episódios que já vi, a série me fez refletir sobre muita coisa. Muita coisa mesmo! A gente nunca sabe o que se passa na vida da outra pessoa. As vezes, brincadeiras que podem parecer inofensivas, cutucam a ferida mais exposta das pessoas.
    Eu não sabia que havia um livro da série. Já estou indo procurar por ele na amazon. Bjoo

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Assisti a série em um dia (estreia), fico triste em saber que algumas pessoas não gostaram, mas pelo contrário, eu gostei de também fiquei bem "mexido". Acho que as pessoas que não estão gostando acha que o início é motivos "banais" para cometer suicídio, mas o que elas não sabem que aquilo só mexeu com seus sentimentos, não foi um motivo idealizado para cometer suicídio, mas colaborou. Eu amei a série, é um tapa na cara de muitas pessoas e uma alerta à sociedade!

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu li o livro e assisti a série que supera o livro em 100% (raro disso acontecer)rs
    E eu gostaria que todos os jovens assistisse e refletisse , parasse pra pensar, pq brincadeira é muito bom pra descontrair, mas que pensasse minha brincadeira é saudável, ou estou sendo cruel? Estou rindo pq é realmente engraçado ou tô na onda? hiiiiiiii são tantas coisas! Amei o post! bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Suzana, tudo bem?

    Asssiti a série logo após que lançou, fui uma dessas pessoas que depois de 2 dias já tinha visto tudo e estava apenas se martirizando por ter visto tão rápido. O assunto da série é muito importante e tem que ser discutido, principalmente entre os jovens que de certa forma se sentem perdidos e como se faltassem informações. A depressão não é uma brincadeira, não é charme e os motivos da Hannah também não foram. Para quem tem conhecimento sobre como o bullying afeta uma pessoa, sabe que a maioria se sente como ela, acuada, sozinha, perdida.
    Eu gostei bastante da série e queria que o assunto fosse levado mais a sério, muitas pessoas ainda não conseguem enxergá-lo como devem! Adorei seu post!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Adorei seu post e fiquei muito contente que você tenha curtido a série. Já li o livro e ele, infelizmente, não chegou perto de ser o que eu esperava, mas ok. Estou curiosa para ver a série, mas também não quero, então, não consigo definir o que desejo de verdade. Acho que essa série abriu vários questionamentos, mas, também, pode ser uma forma de pessoas depressivas (que não é frescura) queiram se matar. Enfim, não sei. Vou tentar assistir para ver o que acho.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Não li o livro nem assisti a série, e no momento não tenho vontade de fazer nenhuma das duas coisas, apesar de conhecer muita gente que amou ler/ ver. Mas fico feliz que a série tenha servido pra colocar o tema em discussão, a depressão é algo realmente extremamente sério e perigoso, e o bullying causa as reações mais diversas nas pessoas mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Como você ainda n li o livro, esta na minha meta de leitura, como a serie baseado no livro foi lançada vi que tem muitos poste relacionados eles nas redes sociais, como vc disse tem pessoas que consideram ela fraca e boba, os motivos no caso, porém acho que todo mundo tem um limite, talvez o meu limite não é o seu e vice e versa, concordo plenamente como que disse em relação a esse foco.

    ResponderExcluir
  9. Olá
    Assim que lançou a série eu fui assistir e que triste viu, ver que o que aconteceu com ela acontece todos os dias em todas as escolas. Hannah foi muito forte, para suportar muita coisa e quando ela optou pelo suicídio foi muito triste, pois antes ela pediu socorro e ninguém parou para perceber.
    Esta é uma série que deveria ser transmitida a todas as escolas.
    Beijuh

    ResponderExcluir
  10. Oi, Suzy!
    Sua resenha e avaliação da série ficou ótima! Foi uma das mais sensatas e bem escritas que li. Acompanhei a maioria dos mesmos comentários que você e também fiquei bem triste por ver que muita gente achava os motivos bobos, falando que a menina criou caso por pouca coisa. E o fato de a garota ser bonita e não poder sofrer bullying? Que coisa! Como se as pessoas não implicassem com os outros diferentes dela por qq coisinha... Francamente! Cada um sabe do que lhe vai a mente e cresce no espírito... não dá pra comparar, não somos bactérias, seres simples que só se reproduzem. TEmos um sistema nervoso complexo pra caramba, pow! Eu ainda to penando c minha resenha, quem sabe quando sai.... rs bj!

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Só li o livro, mas como me decepcionei, acabei adiando a hora de ver a série (isso se eu for ver). É difícil saber o que se passa na vida dos outros, mas a Hannah fez coisas que não se justificam. De todos modos, ela não me convenceu, mas a discussão em torno do tema é super válida.

    ResponderExcluir
  12. Olá.

    Assisti toda a temporada em dois dias. Adorei, não conseguia parar de ver. Gostei muito da série, acho que ela deve ser vista por uma boa parte dos adolescentes, que deve ser um meio de as pessoas falarem sobre o bullying, sobre depressão e sobre o suicídio.

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?
    O que falar dessa série? Eu amei cada episódio e achei a adaptação maravilhosa, acho que essa série abriu caminhos para se falar sobre o tema, bem mais do que era comentado.
    Adorei o post, um beijo.

    ResponderExcluir
  14. Oi Su, sua linda, tudo bem?
    Eu vi muitos comentários de que a série emociona mais do que o livro. Mas vi muita gente discutindo que a série pecou em não trazer uma mensagem de esperança ou de deixar clara a mensagem de que suicídio não é a saída. Teve até quem entendeu que a série poderia incentivar o ato. O importante é que a discussão está sendo feita, e a série da TV acabou atingindo um público muito grande. Que bom saber que isso já refletiu em pedidos de ajuda. Sua crítica ficou ótima, não vejo a hora de ver!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Seu comentário é muito importante!

Todos os posts são escritos com bastante carinho para todos os leitores.

E, sempre que der, vou responder seus comentários.

Obrigada pela visita e volte sempre!

Siga o blog no GFC, Curta nossa Fanpage. Siga no Instagram.